Devocionais

Amor


Por
Jane Olson

(
(email protegido)
)

O amor é a maior e mais cara virtude cristã, e é a maneira pela qual mais imitamos a Deus. Deus não precisa de força, temperança ou prudência porque é onipotente e onisciente. Mas Deus é amor. Poderíamos cultivar todas as outras virtudes, mas se perdermos o amor, todo o nosso trabalho duro é para nada.

Tal como acontece com as outras virtudes, o amor cristão não é um sentimento. É uma condição da vontade que se desenvolve através do hábito e da oração. Se eu quero amar meu vizinho, não preciso consultar meus sentimentos sobre ele. Em vez disso, preciso examinar minhas ações em relação a ele. Estou procurando ativamente o bem do meu vizinho? A melhor maneira de amar meu próximo é agir como se eu fosse. Os sentimentos virão mais tarde, talvez.

O amor cristão é caro porque exige que nós coloquemos nossa vontade até a morte. Isso significa que teremos que amar os outros mesmo quando for extremamente doloroso: a humildade de amar um inimigo, a angústia de amar um filho perdido, a miséria de amar um cônjuge infiel. Esses momentos em que o amor parece impossível são também os momentos em que mais refletimos Cristo que, por nossa causa, sofreu a morte na cruz, mesmo quando éramos pecadores (Romanos 5: 8).

Finalmente, o amor é a maior virtude porque é duradouro. Quando Cristo voltar, não precisaremos mais de fé ou esperança. Então nós veremos o que amamos, quem é amor.

Usado com permissão

Veja o Artigo Original em Inglês

Divulgação: Versículo da Bíblia

Deixe uma comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: